Musique ! Génération Goldman

Génération GoldmanA nova geração da música se reúne em homenagem a Jean-Jacques Goldman, nascido em Paris -1951, muito famoso na França, com uma longa história de sucesso como cantor, compositor, produtor.

Músicas como Au bout des mes rêves (1982), Pas toi (1985), Là-bas (1987), marcaram o sucesso da sua carreira solo. Em 1990, fez uma parceria com a cantora americana Carole Fredericks e com o cantor inglês Michael Jones, a formação do trio de nome Fredericks Goldman Jones durou até 1996, rendeu dois discos (além de dois ao vivo e uma coletânea), músicas como  Nuit (1990), À nos actes manqués (1991), Rouge (1993), Juste après (1994), marcaram o sucesso dessa parceria.

Em 1995 compôs músicas para o Álbum D’eux de Céline Dion, o resultado foi um dos álbuns mais vendidos na França, ficando 44 semanas na primeira posição, com a música Pour que tu m’aimes encore.

Dentre outras várias composições e produções, Jean-Jacques Goldman, ainda hoje, é sinônimo de sucesso, a Génération Goldman, álbum criado com a nova geração da música na França, com músicas que marcaram a carreira desse cantor.

A nova geração conta com cantores como Zaz, Christophe WillemCorneille, Tal, MPokora, entre outros.

Essa é uma ótima oportunidade de conhecer músicas francesas de sucesso.

Génération Goldman – Envole-Moi – Tal & MPokora


Envole-moi

Minuit se lève en haut des tours
Les voix se taisent et tout devient aveugle et sourd
La nuit camoufle pour quelques heures
La zone sale et les épaves et la laideur

J’ai pas choisi de naître ici
Entre l’ignorance et la violence et l’ennui
J’m’en sortirai, j’me le promets
Et s’il le faut, j’emploierai des moyens légaux

Envole-moi, envole-moi, envole-moi
Loin de cette fatalité qui colle à ma peau
Envole-moi, envole-moi
Remplis ma tête d’autres horizons, d’autres mots
Envole-moi

Pas de question ni rebellion
Règles du jeu fixées mais les dés sont pipés
L’hiver est glace, l’été est feu
Ici, y a jamais de saison pour être mieux

J’ai pas choisi de vivre ici
Entre la soumission, la peur ou l’abandon
J’m’en sortirai, je te le jure
A coup de livres, je franchirai tous ces murs

Envole-moi
Envole-moi, envole-moi, envole-moi
Loin de cette fatalité qui colle à ma peau
Envole-moi, envole-moi
Remplis ma tête d’autres horizons, d’autres mots
Envole-moi

Me laisse pas là, emmène-moi, envole-moi
Croiser d’autres yeux qui ne se résignent pas
Envole-moi, tire-moi de là
Montre-moi ces autres vies que je ne sais pas
Envole-moi, envole-moi, envole-moi
Regarde-moi bien, je ne leur ressemble pas
Me laisse pas là, envole-moi
Avec ou sans toi, je n’finirai pas comme ça
Envole-moi, envole-moi, envole-moi…

Jean-Jacques Goldman – Envole-Moi

Jean-Jacques Goldman: va t-il revenir un jour?

Essa matéria mostra um pouco da contribuição de Jean-Jacques Goldman, o seu sucesso e sua história.

Águas de março em francês

E quem não conhece essa música?

Esta é uma adaptação da música de Tom Jobim.

O texto é apenas para quem não lembra direito da música, mas não é possível comparar todas as partes, já que a música foi adaptada.

 

Les Eaux de Mars (Chanteur Georges Moustaki) Águas de Março (música de Tom Jobim)
Un pas, une pierre, un chemin qui chemine, É pau, é pedra, é o fim do caminho
Un reste de racine, c’est un peu solitaire, É um resto de toco, é um pouco sozinho
C’est un éclat de verre, c’est la vie, le soleil, É um caco de vidro, é a vida, é o sol
C’est la mort, le sommeil, c’est un piège entr’ouvert. É a noite, é a morte, é o laço, é o anzol
Un arbre millénaire, un noeud dans le bois, É peroba do campo, é o nó da madeira
C’est un chien qui aboie, c’est un oiseau dans l’air, Caingá, candeia, é o Matita Pereira
C’est un tronc qui pourrit, c’est la neige qui fond, É madeira de vento, tombo da ribanceira
Le mystère profond, la promesse de vie. É o mistério profundo, é o queira ou não queira
C’est le souffle du vent au sommet des collines, É o vento ventando, é o fim da ladeira
C’est une vieille ruine, le vide, le néant, É a viga, é o vão, festa da cumueira
C’est la pluie qui jacasse, c’est l’averse qui verse É a chuva chovendo, é conversa ribeira
Des torrents d’allégresse, ce sont les eaux de mars. Das águas de março, é o fim da canseira
C’est le pied qui avance, à pas sûr, à pas lent, É o pé, é o chão, é a marcha estradeira
C’est la main qui se tend, c’est la pierre qu’on lance, Passarinho na mão, pedra de atiradeira
C’est un trou dans la terre, un chemin qui chemine, É uma ave no céu, é uma ave no chão
Un reste de racine, c’est un peu solitaire. É um regato, é uma fonte, é um pedaço de pão
C’est un oiseau dans l’air, un oiseau qui se pose, É o fundo do poço, é o fim do caminho
Le jardin qu’on arrose, une source d’eau claire, No rosto o desgosto, é um pouco sozinho
Une écharde, un clou, c’est la fièvre qui monte, É um estrepe, é um prego, é uma ponta, é um ponto
C’est un compte à bon compte, c’est un peu rien du tout. É um pingo pingando, é uma conta, é um conto
Un poisson, un geste, comme du vif argent É um peixe, é um gesto, é uma prata brilhando
C’est tout ce qu’on attend, c’est tout ce qui nous reste, É a luz da manhã, é o tijolo chegando
C’est du bois, c’est un jour le bout du quai, É a lenha, é o dia, é o fim da picada
Un alcool trafiqué, le chemin le plus court. É a garrafa de cana, o estilhaço na estrada
C’est le cri d’un hibou, un corps ensommeillé, É o projeto da casa, é o corpo na cama
La voiture rouillée, c’est la boue, c’est la boue. É o carro enguiçado, é a lama, é a lama
Un pas, un pont, un crapaud qui coasse, É um passo, é uma ponte, é um sapo, é uma rã
C’est un chaland qui passe, c’est un bel horizon, É um resto de mato, na luz da manhã
C’est la saison des pluies, c’est la fonte des glaces, São as águas de março fechando o verão
Ce sont les eaux de mars, la promesse de vie. É a promessa de vida no teu coração
Une pierre, un bâton, c’est Joseph et c’est Jacques, É uma cobra, é um pau, é João, é José
Un serpent qui attaque, une entaille au talon, É um espinho na mão, é um corte no pé
Un pas, une pierre, un chemin qui chemine, É pau, é pedra, é o fim do caminho
Un reste de racine, c’est un peu solitaire. É um resto de toco, é um pouco sozinho
C’est l’hiver qui s’efface, la fin d’une saison, É o inverno que passa, o fim de uma estação
C’est la neige qui fond, ce sont les eaux de mars, É a neve que derrete, são as águas de março
La promesse de vie, le mystère profond, A promessa de vida, o mistério profundo,
Ce sont les eaux de mars dans ton coeur tout au fond. São as águas de março no fundo do seu coração
E pau, é pedra, é o fim do caminho
É um resto de toco, é um pouco sozinho…
Un pas, une pierre, un chemin qui chemine, E pau, é pedra, é o fim do caminho
Un reste de racine, c’est un peu solitaire. É um resto de toco, é um pouco sozinho…

Le petit Nicolas – Episódio Le cadeau empoisonné

Le petit nicolasLe petit Nicolas, uma série de desenhos infantis de muito sucesso na França.

Abaixo, o link do Episódio – Le cadeau empoisonné

Le petit Nicolas, a letra de abertura do desenho.

Chanson de début
Chouette me voilà ! Tout ça l’enfance,
Le petit Nicolas…
quitte la classe.
Je suis l’enfant de vos enfances
Ou bien l’enfance de vos mémoires.
Poussière de craies et carte de France,
Boules de papier sur tableau noir.
Chouette me voilà ! Tout ça l’enfance,
Le petit Nicolas…
quitte la classe.
Chouette me voilà ! Tout ça l’enfance !